17 de mai de 2012

Ministério Público Investiga Racismo em Clipe de Alexandre Pires


O clipe mostra imagens de homens vestidos de macacos.

Denúncia partiu da Secretaria Nacional de Promoção de Igualdade Racial.

Augusto MedeirosUberlândia, MG
O clip King Kong, do cantor mineiro Alexandre Pires conta com a participação do jogador Neymar e do cantor Mister Catra. No vídeo, homens vestidos de macaco invadem uma área de lazer cheia de mulheres. No final, Neymar e o próprio Alexandre aparecem fantasiados.
Para a Secretaria Nacional de Promoção de Igualdade Racial, o clip usa clichês e estereótipos contra a população negra. Segundo a denúncia, isso contribui para a permanência histórica do racismo e de práticas de inferiorizarão dessa população. A secretaria também acusa o vídeo de sexismo, porque reforça estereótipos equivocados da mulher como símbolo sexual.
O cantor prestou depoimento no Ministério Público Federal, em Uberlândia, no último dia três sobre o caso. "Eu ouvi apenas um lado da história, que é apenas o autor da música, então agora o Ministério Público Federal vai colher mais informações pra poder chegar a alguma conclusão", declara Frederico Pellucci, procurador da República.O cantor Alexandre Pires, estaria em uma chácara, próxima a Uberlândia. Em nota, ele diz que está chocado com qualquer leitura racista do clipe, já que ele é negro e tem orgulho da sua cor.
Texto retirado do site: 
www.g1.globo.com/jornal-hoje 
Edição do dia 09/05/2012

Um comentário:

  1. Gostaria de deixar um link aqui que traz uma música que está sendo sucesso na net:
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=qEyqE3AKf2o#!
    O problema é o conteúdo racista da música. Tudo bem que é amador, porém, está sendo muito divulgado.

    ResponderExcluir